BioExtratus
BioExtratus
Uso de imagem: o que pode e o que não pode no Marketing?

Uso de imagem: o que pode e o que não pode no Marketing?

Não quer manchar a imagem da sua campanha de marketing? Então venha saber agora um pouco mais sobre o que é permitido ou não em se tratando de uso de imagem

Quem nunca ouviu aquele velho jargão que diz que “a primeira imagem é a que fica”, ou, então, aquele outro que afirma que “uma imagem vale mais do que mil palavras”? São frases feitas bem antigas, mas que ainda assim nos trazem uma verdade que permaneceu imutável diante desses anos todos: a imagem é muito importante. E se estivermos falando de marketing então, ela é fundamental.

Mas, usá-las em tempos de internet não é tão simples quanto parece. Existem algumas regras que você deve saber, se quiser se manter longe de problemas. Se você não sabe quais são elas, relaxe aí na cadeira e nos acompanhe nessa leitura na qual você vai saber o que fazer e o que não fazer quando se trata do uso de imagens na internet.

Imagem: fundamental para o marketing

Que o cérebro processa mais rápido imagens do que texto, todos nós já sabemos. Ah, não sabia? Bom, então é isso: nosso cérebro tem a capacidade de reconhecer com muito mais facilidade imagens do que palavras. E mais do que isso: o site americano Kwikturn Media listou algumas informações muito importantes acerca do quão importante é o uso de imagens — especialmente quando se trata de marketing. Assim, listamos abaixo os principais dados relacionados ao uso da imagem:

  • 90% das informações transmitidas ao cérebro são visuais;
  • O cérebro processa informação visual 60 mil vezes mais rápido do que informação em texto;
  • 40% das pessoas respondem melhor a informação visual do que em texto;
  • Fotos no Facebook geram mais interação do que textos, vídeos e links.

Inclusive, quando seu objetivo é se manter fixo na memória das pessoas, as imagens são o caminho certo. Um estudo feito pela empresa HP indica que as pessoas costumam se lembrar de cerca de 80% do conteúdo visual ao qual têm acesso. Número muito superior ao que elas ouvem — 10% — e ao que lêem, que elas se lembram de apenas 20%.

Uso de imagem: vale tudo?

Mas o que muita gente não sabe, especialmente quando está iniciando no meio do marketing, é que há certas regras e restrições quanto ao uso de imagens. Não é porque uma foto se encontra disponível para download na internet que ela pode ser usada de qualquer maneira. Confira as principais situações com as quais você precisa tomar muito cuidado ao lidar com o uso de imagens em sua campanha de marketing.

  • Direitos autorais

As imagens que constam na internet têm direitos autorais, e sendo fotografias de pessoas, contam também com os direitos de imagens. Portanto: se você pretende utilizar uma imagem produzida por alguém, precisa de uma autorização expressa dela.

No caso da não autorização, é cabível punição perante a lei. Tanto o artigo 20 do Código Civil quanto o artigo 5º, no inciso X, da Constituição Federal, tratam da questão de direitos de imagem e de direitos autorais. Lembrando que se excetuam os casos de uso público.

  • Autorização de uso de imagem

No caso de grande parte dos fotógrafos, eles já contam com o direito de imagem da pessoa fotografada — mas é sempre preciso confirmar essa informação. Se não houver, entre em contato com a pessoa e consiga essa autorização também. Especialmente se houver algum fim lucrativo onde as imagens forem utilizadas.

Do contrário, uma violação a um direito fundamental (garantido pela Constituição) está sendo cometida. Independente do ambiente — até mesmo uma foto promovendo a empresa onde você trabalha precisa de sua autorização para lhe expor.

  • Atribuição de créditos

Não basta conseguir a autorização de quem produziu a foto e de quem foi fotografado para poder usá-la. Também é preciso exibir corretamente os créditos ao fotógrafo ou estúdio que produziu a imagem. Mas existem diversas maneiras de se exibir esses créditos — pode ser de maneira expressa, ou até por marca d’água.

  • Uso de imagem de menores

O caso de uso de imagens com menores de idade é um pouco mais complexo, e exige uma autorização expressa dos responsáveis pelo jovem em questão. Além disso, a imagem de um menor de idade não pode ser utilizada com fins públicos, caso a imagem venha a causar algum dano ao sujeito. Por isso que imagens de menores envolvidos em crimes costumam ser distorcidas quando apresentadas publicamente. Assim, é fundamental que haja um contrato firmado entre as partes responsáveis, deixando bem claras quais as finalidades das fotografias — e que, claro, elas não vão prejudicar a criança, agora ou futuramente.

Como evitar problemas

Quer saber como evitar dores de cabeça quando tiver de usar alguma foto em sua campanha de marketing, site ou blog? Portanto existem algumas soluções, que podem variar de acordo com o tipo de fotos que você precisa.

  • Banco de imagens gratuito

A saída mais comum é se utilizar de um dos diversos bancos de imagens gratuitos que existem na internet. Grande parte deles só exige um cadastro, e o acesso às imagens é liberado — geralmente em resoluções mais modestas, mas que podem funcionar bem na rede. Ainda assim, atente-se aos créditos ao site/fotógrafo. Isso varia de acordo com cada banco de imagem, e cada um deles tem explicações específicas sobre como trabalhar esses créditos. Alguns bons exemplos são o Pixabay, o Unsplash, o StockSnap e o Freepik.

  • Sessão de fotos particular

Se houver caixa disponível para isso, uma ótima solução — e completamente personalizável — é realizar uma sessão de fotos com um fotógrafo particular. Mais uma vez, bastam ser dados os devidos créditos ao fotógrafo — que nesses casos, já costumam vir na própria imagem, por meio de uma marca d’água.

  • Criação do próprio banco de imagem

Se você for um fotógrafo, ou puder contar com um em sua equipe, criar um banco de imagens pode ser uma boa saída. Reunindo parte do trabalho ali, você pode encontrar imagens disponíveis para os assuntos que lhe interessarem. Assim, você pode, inclusive, disponibilizar virtualmente esse banco de imagens — gratuitamente, ou como serviço pago. Além de tudo, funciona como um ótimo portfólio para o trabalho de fotógrafo. Ah, sempre deixe bem claras as regras quanto a forma como suas fotos devem ser creditadas quando usadas por terceiros!

Agora já deu para ter uma ideia melhor de como funciona trabalhar com imagens na internet, certo? Lembre-se que, se a primeira impressão é a que fica, nada mais justo do que ela ser uma imagem bela. E, claro, utilizada dentro dos parâmetros legais.

Portanto continue acompanhando nosso conteúdo para não ficar feio na foto. 😉


Leia também:

5 razões para optar pelas estruturas metálicas na construção civil

Marketing sensorial: 5 maneiras de atingir o sucesso

 

 

Sobre o Autor

Endereço: Rua XV de Novembro, 1112 - sala 2 - CEP.: 13330-070 - Indaiatuba/SP - Telefone.: (19) 40420-0897

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat