BioExtratus
BioExtratus
Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

Nunca ouviu falar? Então se prepare pois ela sempre esteve presente em sua vida

O que é a Motown?

Afinal, o que nomes como Stevie Wonder, Michael Jackson, Marvin Gaye, Lionel Richie e Diana Ross tem em comum? Todos esses gigantes da música começaram na Motown Records, revolucionando para sempre então a música como a conhecemos.

A Motown Records é certamente uma das gravadoras americanas de maior impacto na cultura pop mundial, colecionando milhares de hits. Ela teve um papel extremamente importante na integração racial dentro da música popular, sobretudo pelo núcleo baseado nos Afro-Americanos.Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

Foi inegavelmente a maior gravadora de R&B e de Soul Music, chegando a acumular um patrimônio de 61 milhões de dólares. Além disso, a gravadora chegou a carimbar 79 discos no top 100 da Billboard entre 1960 e 1969. Estes números, considerando uma pequena gravadora administrada, e repleta de artistas afro-americanos, numa America racista, são impressionantes.

Além disso, a Motown foi uma das primeiras a investir em fórmulas de composição “KISS” (Keep It Simple, Stupid) e em apresentações coreografadas. Com isso, vemos a influencia da gravadora nos moldes de artistas pops de sucesso que viriam a surgir até os dias atuais.

Aposto que você não sabia destas informações, não é? Então vamos conhecer um pouco mais sobre a história desta verdadeira máquina de grandes clássicos.

A fundação da Motown

A Motown Records foi fundada pelo produtor e empresário americano Berry Gordy Jr. no dia 12 de janeiro de 1959, na cidade de Detroit. A saber, o nome Motown é uma junção entre as palavras “Motor” e “Town” (motor e cidade respectivamente, em inglês).

Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

Vindo de uma família de empresários, Berry possuia uma loja chamada 3D Record Mart, a fim de, de acordo com o próprio, educar a população de Detroit sobre “a beleza do jazz“. Eis que então conheceu um proprietário de uma distribuidora, onde começou a compor algumas músicas para a lenda do Soul Jackie Wilson. Berry escreveu mais alguns hits para o artista, e depois começou a escrever para diversos outros, como Smokey Robinson, Marv Johnson e Debbie Reynolds.

Então, houve devido à crescente demanda de arranjos para grupos no formato de duos ou mais cantores. Por isso, Berry abriu sua própria gravadora, através do dinheiro dos royalties e de um empréstimo familiar. Eis que então ele funda a Tamla Records, que mais tarde viria a se tornar a Motown Records.


Assuntos relacionados:

 Ukulele, o instrumento Havaiano. Será?

 Coluna CriativHarmos: Academia Auditiva por Bruna Kohler


Os primeiros hits

O primeiro hit a chegar ao topo da Billboard R&B foi “Shop Around” dos The Miracles (grupo de Smokey Robinson), sendo o primeiro disco da Motown a vender 1 milhão de cópias, em 1960. Em seguida, em 1965 temos “Please, Mr Postman” das Marvelettes sendo o primeiro single a chegar no topo das paradas. Precipuamente, o mundo viu um grupo de jovens cantoras negras chegarem ao topo das paradas americanas, quebrando todas as barreiras. Com a chegada de novos produtores e músicos de alto calibre, como William “Mickey” Stevenson, Brian Holland, Lamont Dozier e Norman Whitfield, a Motown se torna uma grande gravadora.

O surgimento das lendas

Entre 1960 e 1971, a Motown colecionou 110 Top 10 compactos, ao passo que alguns deles iriam se tornar verdadeiras febres nas rádios. Alguns desses compactos eram de artistas, até então pouco conhecidos, tais como Jackson 5 (Michael Jackson), The Supremes (Diana Ross), Marvin Gaye e (Little) Stevie Wonder.

Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

A crescente demanda e audiência pela música negra destes artistas certamente fez com que a música vencesse obstáculos e quebrasse os paradigmas da música. Afinal de contas, estes artistas são idolatrados e reverenciados até os dias atuais.

1972-1998: A Era Los Angeles

Em 1967, a Motown Records perdeu o trio de compositores William “Mickey” Stevenson, Brian Holland e Lamont Dozier, deixando Norman Whitfield como o principal compositor e arranjador. Com isso, Berry criou o programa de TV TCB, voltado exclusivamente para os artistas da gravadora, o que ajudou a alavancar ainda mais as vendas dos discos.

Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

Em 1972, a Motown se deslocou para Los Angeles, trazendo com eles seus artistas e sua banda de apoio, aproveitando o embalo do sucesso dos discos/clássicos What’s Going On de Marvin Gaye e Talking Book do Stevie Wonder.

Assim, começa a era em que a Motown começa a investir em filmes como o filme sobre Billie Holiday, o incrível Lady Sings the Blues (1972) e Mahogany (1975).

Na segunda metade dos anos 70, com a perda dos hitmakers em 1967, a Motown começou a perder forças, principalmente pela crescente procura pelo rock n’ roll na época. Movimento este capitaneados por bandas como Led Zeppelin, Black Sabbath, Deep Purple, Yes, Pink Floyd e tantos outros.

Fim da Era de Berry Gordy Jr

Em 1983, Berry decide vender sua parte na Motown Records para a MCA Records, devido à queda das vendas e para tratar de uma doença. Mas apesar das quedas, a gravadora continuava emplacar hits com Lionel Richie, The Comodoores e Rick James.

Depois, na década de 90, a Motown processou a MCA Records, e seus discos passaram a ser distribuídos pela Polygram Records.

Motown: A gravadora que revolucionou o mundo.

Então finalmente, em 2005 a Motown foi vendida para a Universal Records, se tornando a Universal Motown.

Neste ano, a gravadora completou 60 anos de existência, relançando muitos de seus maiores álbuns e sacramentando uma história de revolução cultural, e na industria musical, que mudou todo o jogo da música pop, e que perdurará por muitas e muitas gerações. Obrigado, Motown!

Sobre o colunista:

Guilherme conta com mais de 15 anos de experiência em bandas de rock e pop, tais como Dime Store, Círio e Popstation; Gravações de discos, produção e composição, de artistas da região de Campinas, Brasília, e de bandas estrangeiras como Dark Quiet; Aparições em redes de televisão e até mesmo vencedor de premiação de Festival de Rock. Estudou e participou de masterclasses com grandes nomes da região como Viktor de Lima e Arthurzinho Aguiar.

 

 

 

 

 

 


Continue lendo:

 Coluna CriativHarmos: Harmos agora está dentro do Colégio Objetivo

 Inscrições para o 5º Salão de Artes Visuais

 Projeto 3: Conheça o trio musical de Indaiatuba


 

Sobre o Autor

Rua Joaracy Mariano de Barros, 212 - Solar do Itamaracá - Indaiatuba/SP - CEP.: 13.333-390 - Tel.: (19) 3329-7741 e (19) 9.8328.4111 (What´s App) [email protected]

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat