BioExtratus
BioExtratus
Entenda como o molho de tomate natural pode fazer diferença no seu prato

Entenda como o molho de tomate natural pode fazer diferença no seu prato

Saiba como fugir dos molhos processados e de que forma eles impactam a sua dieta

Abriu a latinha ou o sachê, aqueceu no fogão ou até mesmo no micro-ondas e pronto: você já tem um molho de tomate para seu espaguete. Entretanto, isso também significa que está abrindo mão de um alimento fresco e, inclusive, de uma experiência gastronômica diferenciada. Por isso, vamos explicar o que faz do molho de tomate natural um ótimo
candidato para entrar na sua alimentação.

Elimine excesso de conservantes e sódio da dieta

Tudo começa pelo valor nutricional. Molhos e extratos processados de tomate costumam apresentar altos teores de sódio, gordura e açúcar, fora os conservantes e realçadores de sabor. Ao buscar alternativas mais naturais, evita-se ingerir em excesso esses elementos que influenciam no surgimento de doenças cardíacas, diabetes e problemas com colesterol.

Além de sumir com todos esses aditivos industrializados, o molho natural mantém os bons nutrientes. O tomate é rico em vitaminas A; B9, K e C; sódio, magnésio; cálcio e potássio, substâncias que ajudam na manutenção completa do organismo. Todavia, o licopeno é a grande estrela: esse poderoso antioxidante ajuda na prevenção de vários tipos de câncer e fortalece o sistema imunológico.


Leia mais:

Otimismo da Indústria de Alimentos gera mais interesse em feiras

Como começar com o pé direito nesse mundinho das cervejas artesanais?


Combina com tudo?

As várias possibilidades de preparo é outro ponto essencial. Apesar de um molho simples, o sabor final já muda a partir da escolha dos vegetais. A espécie mais recomendada é o tomate italiano, porém o tomate débora também serve para essa ocasião. O ideal é buscar por tomates com mais polpa e menos acidez, retirando ainda as sementes e a pele na hora de preparar.

Usar ervas finas e especiarias também dão um toque especial à receita. Assim, o molho pode ser adaptado às mais diferentes ocasiões, seja um jantar especial ou junto com aquela massa integral para consumo cotidiano.

A Itália e o molho de tomate

Não é segredo que os italianos prezam por molhos de tomate bem preparados,;muitas vezes com receitas elaboradas por cada família e passada por gerações. Porém, essa tradição só começou a se concretizar após 1400, quando os primeiros europeus chegaram à América do Sul, de onde o tomate é originário.

De início, o vegetal era utilizado como um ornamento nas casas europeias. Não se sabe quando se tornou molho, porém, o primeiro registro data o ano de 1790. Trata-se de uma receita de macarrão à napolitana do chef italiano Francesco Leonardi – incluída no livro L’Apicio Moderno.

Atualmente, o molho de tomate transita por outros sabores da gastronomia italiana, por exemplo, pizza, polpetones e nhoques. No Pecorino, o condimento é uma das peças-chaves de pratos como o Gnocchi Al Ragu Di Filletto – um delicioso nhoque com molho de tomate e tirinhas grelhadas de filé mignon. Se você ficou com água na boca, faça-nos uma visita na unidade Indaiatuba do Restaurante Pecorino, que fica no Polo Shopping.

 


Confira também:

Brasilidade inspira restaurante Amadeu

Receita: salada de Penne com molho de pera


 

Sobre o Autor

Rua Joaracy Mariano de Barros, 212 - Solar do Itamaracá - Indaiatuba/SP - CEP.: 13.333-390 - Tel.: (19) 3329-7741 e (19) 9.8328.4111 (What´s App) [email protected]

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat