Mobilidade e queda de idosos: uma atenção constante

Mobilidade e queda de idosos: uma atenção constante

A chegada da terceira idade traz com ela dificuldades na mobilidade, que podem levar a quedas e complicações maiores. Saiba como evitar e amenizar esses problemas

Quedas e acidentes dentro de casa são problemas que podem acometer qualquer um. Mas essa situação se torna mais recorrente com o avanço da idade. Assim, é muito importante que os idosos se atentem a essa questão, especialmente por conta de sua mobilidade reduzida e saúde naturalmente fragilizada. Mais do que isso, os que estão ao seu redor também podem e devem se manter atentos e cuidadosos. Para ajudar nessas questões, a Terça da Serra listou alguns dos principais cuidados que você pode ter para com uma pessoa da terceira idade em sua residência, além de trazer as principais causas da falta de mobilidade e a queda de idosos.

Terceira idade e a propensão às quedas

É natural que o corpo humano se torne mais frágil com o passar dos anos. Essa condição se agrava com a chegada da terceira idade: a locomoção se torna mais difícil por conta da perda de equilíbrio; os ossos se tornam mais frágeis, tal qual a musculatura, especialmente dos membros inferiores. Também é normal que algumas doenças relacionadas a pressão arterial e labirintite contribuam com quedas repentinas.

Além dos fatores naturais, obstáculos podem causar quedas e as consequências podem ser bastantes graves. Isso porque, devido ao enfraquecimento do corpo e das estruturas ósseas, outros desdobramentos podem surgir e agravar a situação como: fraturas de ossos, torções, luxações, deslocamentos de ossos e escoriações.

Além disso, quando as quedas envolvem batidas na cabeça, pode haver perda de consciência, sangramento ou hemorragia. Portanto, no caso quedas graves, é primordial solicitar apoio médico de uma ambulância imediatamente.

Mobilidade e queda de idosos: uma atenção constante

Cuidados e ações preventivas

Existem algumas ações que a família do idoso pode fazer para contribuir com a diminuição dos riscos dentro da casa. Abaixo, listamos as principais atitudes:

  • Realizar atividades físicas

Manter uma rotina com a realização de atividades físicas pode contribuir na manutenção de uma mobilidade mínima para o idoso. Além de fortalecer sua musculatura, contribui com sua autonomia. Esses exercícios podem ser feitos por meio de atividades fisioterapêuticas, ou mesmo por meios mais simples como uma caminhada diária.

  • Manter a residência adaptada para o idoso

Um ambiente amplo e bem iluminado torna muito mais fácil a locomoção dos mais velhos. Além disso, também é importante manter a atenção com tapetes que possam causar acidentes — se forem indispensáveis, que sejam antiderrapantes.

Retire móveis que possam estar no caminho, evitar armários e camas muito altas, para reduzir o esforço dos idosos. Evite também pisos muito escorregadios e aplicação de cera nos ambientes onde o idoso frequenta.

Além disso, quando forem necessárias, devem ser incluídas pela casa barras laterais de auxílio para locomoção — especialmente nos banheiros, que merecem muita atenção. Pisos molhados e assentos sanitários também exigem cuidado.

Outro item que merece atenção são as escadas. Quando não possível evitar seu uso,  elas devem ser revestidas com produtos antiderrapantes. O quintal também deve ser adaptado de maneira que a locomoção se torne o mais fácil e tranquila possível.

  • Cuidado com as roupas e calçados

É indicado que os idosos utilizem sempre calçados fechados, e de preferência antiderrapantes e sem cadarços — para que não haja risco de se soltarem e contribuírem com quedas. Nada de chinelos e outros sapatos ou tênis que possam se soltar facilmente. Muito menos andar descalço por dentro da casa, o que facilita o acontecimento de escorregões. Além disso, as roupas não devem ser compridas, especialmente as calças, saias e vestidos. Essa é mais uma maneira de evitar que o idoso tropece na peça de roupa e venha a sofrer um acidente.

  • Alimentação

É importante manter uma alimentação rica em vitaminas e nutrientes que possam contribuir com a manutenção da boa saúde do idoso. Profissionais da nutrição podem indicar alimentos que vão ajudar a manter a saúde estrutural em dia.

Família e cuidadores: atenção redobrada

Tanto família quanto cuidadores que sejam responsáveis pelos idosos devem manter a atenção redobrada para esses cuidados.

É importante também que alguém sempre esteja próximo ao idoso, buscando auxiliá-lo em tarefas que possam trazer algum risco a sua integridade física. Isso inclui, inclusive, atividade simples como ficar em pé, o que deve ser feito de maneira correta e sempre cuidadosa.

É importante auxiliar também nas atividades diárias como tomar as medicações nos horários corretos, assim como garantir que os idosos façam check-ups  periodicamente. A visão também merece uma atenção especial, já que ela pode influenciar diretamente nas questões de mobilidade dos idosos.

Mantenha os olhos sob aqueles que precisam mais de atenção dentro da sua casa. Se você não tem condições de proporcionar esses cuidados, considere encontrar uma casa de repouso que trate do seu ente querido como se fosse da família. Quer uma dica? Conheça o Terça da Serra.


Leia também:

http://www.revistadavila.com.br/fisioterapia-x-terapia-ocupacional-as-diferencas/

http://www.revistadavila.com.br/impor-limites-palmada-pedagogica/

 

Sobre o Autor

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat