BioExtratus
BioExtratus
Oculis Prestos: Minha mente a pensar

Oculis Prestos: Minha mente a pensar

cabeçalho Coluna Oculis Presto por Márcio Nunes

Mente a pensar em dias cinzentos

Mente a pensar

Em dias cinzentos a vida é morna

A fala é fina, a gloria se entorta nas falas divinas.

 

Devaneios que surgem em total desafeto

Sinto-me um tornado de qualquer eco

 

Sem voz, sem muda, sem vigia que nos acuda.

Somente a voz gritando para o céu

Ideias que não rabiscam o papel

 

Imundo e injusto como antes anseia

Triste caminho, pequena sereia.

Pernas não vão te salvar

Só te farão caminhar

Em busca do mesmo destino

 

Somos soturnos, amantes meninos.

Desvendamos as teias do nosso caminho

Existe uma linha que se estica

E quando entendemos chamamos de vida

 

Procuro estrelas nos olhos teus

E encontro promessas que prometeu

Encontro os sonhos que não vão ficar

Encontro teus olhos que não vão ficar

A se entorta nas falas divinas

 

Devaneio que surgem em total desafeto

Sinto-me um tornado de qualquer eco

 

Sem voz, sem muda, sem vigia que nos acuda.

Somente a voz gritando para o céu

Ideias que não rabiscam o papel

Oculis Prestos: Minha mente a pensar

Imundo e injusto como antes anseia

Triste caminho, pequena sereia.

Pernas não vão te salvar

Só te farão caminhar

Em busca do mesmo destino

 

Somos soturnos, amantes meninos.

Desvendamos as teias do nosso caminho

Existe uma linha que se estica

E quando entendemos chamamos de vida

 

Procuro estrelas nos olhos teus

E encontro promessas que prometeu

Encontro os sonhos que não vão ficar

Encontro teus olhos que não vão ficar

 

Não há mais o rosto

Para a minha mão repousar.

Isso é somente o segundo emitente

 

Na minha mente a pensar.

Sobre o colunista

Marcio_Nunes_Oculis_Presto_Revista_Davila

Meu nome é MÁRCIO NUNES, responsável pela Coluna ‘Oculis Presto’, na verdade sou Designer Gráfico e não escritor. Para entender porque escrevo temos que voltar um pouco no tempo. Acho que se alguém próximo merece o mérito, minha irmã mais velha, ela mantinha um diário na adolescência e eu como irmão mais novo tinha o dever de ler ele escondido.
Porém, a ideia de poder ler aquelas coisas quando fossemos mais velhos, me levou a contrair essa mesma paixão por registrar, nossa vida, nossas emoções…  Acho que a partir daí comecei a ler, a escrever textos, poesias, ensaios… crônicas… está tudo lá no www.oculispresto.blogspot.com.

Acompanhe a Coluna Oculis Presto por Márcio Nunes

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat