BioExtratus
BioExtratus
Microalgas podem dar novas cores a produtos cosméticos

Microalgas podem dar novas cores a produtos cosméticos

Projeto desenvolvido pelo Grupo Boticário, em parceria com a Embrapa,  busca novas colorações a partir de técnicas inovadoras e sustentáveis

O Grupo Boticário, detentor das marcas O Boticário, Eudora, quem disse, berenice?, The Beauty Box, Multi B e Vult, fechou parceria de cooperação com a Embrapa Agroenergia para buscar;uma via alternativa aos insumos industriais de coloração. O projeto de produção de corantes por via biotecnológica tem objetivo de criar uma nova forma de se obter cores: produzir corantes por meio da fermentação de fungos,;bactérias e microalgas.

“Acreditamos na capacidade de inovação brasileira e nas sinergias entre instituições de pesquisa tecnológica e empresas industriais. Para nós, o acordo de cooperação com a Embrapa Agroenergia é um exemplo prático desse pensamento”, afirma Paulo Roseiro, diretor de P&D do Grupo Boticário.

A iniciativa é uma dentre diversas lançadas pelas área de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) do Grupo Boticário, que investe constantemente em métodos alternativos, e está na vanguarda da tecnologia para cosméticos. A empresa é pioneira  na implementação de metodologias alternativas aos testes em animais no Brasil,;prática que não é usada pelo Grupo há 19 anos.


Leia mais:

Cosméticos infantis: dê beleza de presente no Dia das Crianças

Lista com 5 cosméticos para se preparar em casa


Entre os projetos está a criação de pele humana desenvolvida em laboratório, a Pele 3D. O material é utilizado para o teste de matérias-primas e produtos acabados (cremes, loções e maquiagens),;tanto para a escolha de ingredientes que serão usados nas formulações, quanto na segurança dos produtos.

O Grupo Boticário também inovou ao implementar o organs on a chip, uma tecnologia que simula um órgão humano em um chip. O objetivo da iniciativa é comunicar a pele com o sistema imune do corpo humano nos testes. Ou seja, identificar possíveis reações alérgicas causadas por produtos cosméticos a partir da pele. Além desses, também lançou, no início deste ano, um selo de identificação para produtos veganos, fabricados e produzidos sem matérias-primas de origem animal.

‘Cada vez mais, a tendência é que projetos como esses sejam substituídos por soluções inovadoras e de alto potencial sustentável, provocando uma mudança de mindset para processos tradicionais da indústria cosmética”, complementa Roseiro.

boticário


Confira também:

5 Tratamentos de beleza rápidos (de 1 a 10 min) para dar aquele up no visual

Café vira matéria-prima para itens de beleza


Sobre o Autor

Rua Joaracy Mariano de Barros, 212 - Solar do Itamaracá - Indaiatuba/SP - CEP.: 13.333-390 - Tel.: (19) 3329-7741 e (19) 9.8328.4111 (What´s App) [email protected]

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat