BioExtratus
BioExtratus
Gato por Lebre = Truta por Salmão?

Gato por Lebre = Truta por Salmão?

Banner Cozinhatividade por Cheg karina Bertocco Página de potagem


Você provavelmente frequenta ou já freqüentou restaurantes japoneses tipicamente brasileiros, comeu sushi com manga, sashimi mergulhado no shoyu, temaki de Salmão com cream cheese… Ou, para mudar um pouco, as vezes da uma passadinha no mercado para comprar uma bandeja de Salmão e faz em casa com acompanhamentos bem gostosos… Tudo isso, buscando uma alimentação saudável, certo?  


Estaria tudo certo se você não fosse enganado na maioria das vezes… No Brasil, pouquíssimos estabelecimentos vendem o verdadeiro e saudável Salmão. Peixe selvagem, encontrado naturalmente no Atlântico Norte ou Pacífico Norte, que nasce nos rios dessas regiões,;mas passa a maior parte da vida nos mares, retornando ao rio para se reproduzir. Se alimenta de camarões e de outros crustáceos, e assim faz a cor da sua carne ser naturalmente rosada, avermelhada, ou de cor “Salmão”. Por conta desses hábitos naturais de alimentação,;sua carne é rica em Omega 3, vitamina B12, vitamina D, ácidos graxos, fósforo, magnésio, entre outras qualidades.

Gato por Lebre = Truta por Salmão? Coluna Cozinhatividade por Chef Karina Bertocco

Salmão de Cativeiro

Mas, na verdade você consome na maioria das vezes truta salmonada ou Salmão de cativeiro vindo diretamente do Chile. Criado sem muito controle de higiene,;nesses cativeiros os animais são abarrotados em tanques e alimentados com ração e corantes para dar aquela coloração característica dos salmões verdadeiros. E, para crescerem rápido, são submetidos a um processo de engorda e se desenvolvem em um espaço reduzido,;com isso sua carne tem um alto índice de gordura, além de ingerirem altas doses de antibióticos para não terem doenças causadas por bactérias. Dessa forma, suas qualidades nutricionais são reduzidas e sua carne é muito mais calórica.

Foram feitas muitas pesquisas a respeito das substâncias sintéticas que tingem artificialmente a carne do Salmão de cativeiro e das trutas salmonadas, e foi identificado que em grandes quantidades podem ser tóxicas,;cancerígenas e causar reações alérgicas. Obviamente, a quantidade dessas substâncias no Salmão não são tão elevadas a ponto de causar esses problemas de imediato. Mas, podem causar problemas futuros com o alto consumo da sua carne.

Muitos especialistas da área em tecnologia de pescados dizem que não há  problema na forma como são criados esses peixes, e que a alimentação;“artificial” dos peixes não gera nenhum problema para a saúde humana. Porém, particularmente, não acredito ser saudável ingerir por tabela rações, corantes artificiais, gorduras e antibióticos para engorda de animais.

Saúde

Se você ainda tem dúvidas com relação a criação de Salmão em cativeiro ser realmente prejudicial a saúde humana, ;portanto, saiba que não restam dúvidas que essa produção faz muito mal ao meio ambiente. Tanto pelo fato dos peixes eliminarem resíduos contendo antibióticos nas águas, como para alimentar artificialmente essa enorme quantidade de peixes. Só para se ter uma ideia, é necessário aproximadamente 4 quilos de pescados para produzir 1 quilo de Salmão. Ou seja, não faz sentido no quesito sustentabilidade. Mas,

Portanto, se informe, desconfie! Veja a procedência do produto quando for comprar. Salmão selvagem não é um peixe barato e as melhores opções encontradas no Brasil hoje, são importadas do Alasca. Enquanto Salmão de cativeiro e truta salmonada são importados do Chile.

Sobre a Colunista

Eu sou Karina Bertocco e um detalhe importante que diz;muito da minha personalidade é sobre minha origem, da qual me orgulho muito. Venho de uma família italiana do bairro da Mooca em São Paulo, e desde pequena me realizo na cozinha ajudando as minhas avós a fazer um delicioso Gnocchi, ou o maravilhoso Crostoli Italiano, massa fresca ou até mesmo um simples bolo de chocolate. Eu sou completamente apaixonada por cozinha e na arte de receber pessoas, qualidade que com certeza herdei dos meus pais que são excelentes anfitriões.

Para me profissionalizar portanto, cursei gastronomia na Anhembi Morumbi em São Paulo, trabalhei no;Clube Med em Trancoso, na cozinha do grupo Leopoldo em São Paulo, fui sócia proprietária de restaurante também em São Paulo e;hoje em dia da Karina Bertocco Gastronomia em Indaiatuba/SP. Fiz cursos de panificação e confeitaria na Levain (SP), de confeitaria na Escola do Diego Lozano, fiz um curso de harmonização na Le Cordon Bleu;em Paris e um curso de Massas e Pizzas na Accademia Europea di Firenze na Itália. Tive a oportunidade de viajar por 25 países (por enquanto), o que agregou e agrega muito na minha profissão.

Além dessa matéria, Alimentos ideais para o inverno,
acompanhe também toda semana a Coluna Cozinhatividade e
saiba mais sobre o assunto neste link

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat