BioExtratus
BioExtratus
Gastronomia: 5 dicas para transformar sua cozinha em negócio

Gastronomia: 5 dicas para transformar sua cozinha em negócio

Do cardápio ao marketing pessoal, Apptite ensina chefs a conquistarem consumidores e terem maior produtividade

 

 

Receber elogios da família e dos amigos é uma delícia, mas, se a intenção é profissionalizar o talento na cozinha, é preciso ir além. O capricho tem que ser posto à mesa não só nos temperos, mas também na apresentação dos pratos e no marketing pessoal para difundir as delícias, conquistar clientes e virar um cozinheiro de sucesso. O Apptite, aplicativo que conecta chefs e consumidores, dá essas e outras dicas valiosas aos apaixonados pela arte culinária para fazerem disso um negócio rentável:

 

1. Conte uma boa história e aposte no marketing pessoal

Se a paixão por cozinhar começou ainda na infância, conte essa trajetória. Como também, a escolha dos ingredientes, isso dará um toque mais pessoal aos pratos. “O mundo está super virtualizado e as pessoas sentem falta de um contato mais humano. Uma breve biografia nos canais de divulgação encanta os clientes e desenvolve uma relação mais próxima com eles”, observa Dea Zanella, diretora de relacionamento do Apptite e uma das fundadoras da plataforma.

 

2. Defina um cardápio estratégico

Segundo Dea, há dois caminhos a serem seguidos: a especialização em um tipo de cozinha ou apostar na variedade para um público mais amplo. Em ambos os casos, o diferencial do chef é a qualidade da comida. Ter doces além dos pratos salgados possibilita oferecer uma experiência mais completa. Ao definir o menu é importante estar antenado na oferta dos ingredientes no mercado, naqueles que possam ser usados em várias receitas. Assim, custos são reduzidos e evita-se o desperdício.
 

3. Desperte a fome

A degustação de um prato começa pelo desejo de saboreá-lo. “Primeiro a pessoa come pelos olhos”, diz Dea. É imprescindível, então, investir na apresentação e publicar boas imagens, que deem água na boca. Usar as mídias sociais é uma ótima maneira de fazer a divulgação do negócio. Quanto mais suculentas as fotos, mais atraem o consumidor e geram engajamento na rede – e, consequentemente, retorno.
 

4. Capriche na embalagem

Parece um detalhe, mas a embalagem também deve ser pensada com cuidado. ”Além do design interessante e condizente com os valores da marca, ela tem de garantir a manutenção das características do produto mesmo após a viagem até o destino final, para que conserve a atratividade do alimento”, aponta a especialista do Apptite. Um bilhetinho feito à mão com uma sugestão de consumo do prato ou de harmonização é um agrado que mostra atenção ao cliente e contribui para a fidelização.
 

5. Seja organizado e pontual

Prazos são feitos para serem cumpridos e, para tanto, ter uma boa organização é fundamental. Alinhar uma linha de produção inteligente a materiais já separados e alimentos previamente preparados ajuda a fazer uma entrega mais rápida. A logística tem de garantir a chegada do prato no horário marcado. “Nem sempre isso é fácil, ainda mais em São Paulo, um dos motivos por que resolvemos criar o Apptite, que cuida dessa parte do delivery e de outras preocupações importantes além de cozinhar, mas que consomem tempo do chef”, explica Dea.
Essas são algumas das orientações compiladas no treinamento que o Apptite, ofereceu a 50 chefs em setembro. Os profissionais cadastrados têm constante consultoria para ter o melhor resultado com a ferramenta. “Queremos que consigam fazer do app sua principal fonte de renda para faturar mais de R$ 10 mil por mês”, ressalta a diretora de relacionamento.
 

Sobre o Apptite

Marketplace de comida artesanal pioneiro no Brasil, o Apptite faz a ponte entre chefs e quem deseja saborear uma boa comida sem ter de sair de casa ou do escritório.

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat