BioExtratus
BioExtratus
Culinária japonesa: a hora certa de levar a criançada para o “japonês”

Culinária japonesa: a hora certa de levar a criançada para o “japonês”


Confira algumas dicas para saber quando é o momento certo de levar a criançada para experimentar a exótica e saborosa culinária japonesa


A hora certa de levar a criançada para o Japonês Daisho Indaiatuba Restaurante Japonês

A culinária japonesa é cada dia mais consumida pelos brasileiros. Desde os mais tradicionais sushis, sashimis, até os temakis vendidos como fast-food, o cardápio oriental definitivamente está inserido em nosso dia-a-dia. Mas quem tem crianças pequenas em casa vive num dilema: quando levar os pequenos para experimentar as iguarias? Existem riscos à saúde? Qual é a idade ideal para que se possa degustar um prato japonês pela primeira vez?

Evite comida japonesa para os bebês

Precisamos ter em mente que a culinária japonesa tem muitos alimentos crus e eles podem causar alguns problemas graves de intoxicação alimentar. Por isso, antes de qualquer coisa, adultos ou crianças devem procurar estabelecimentos que contenham Certificação Sanitária. Sobretudo, o restaurante deve seguir normas estritas de higiene, cuidado e manuseio com os alimentos.

Estando bem claro isso, devemos nos lembrar que os bebês ainda estão em formação. Não há um consenso sobre a idade exata em que o sistema imunológico das crianças está completo. Estipula-se que isso ocorra entre os dois e três anos de idade, como afirma a nutricionista da Maternidade Pro Matre Paulista, Luciana da Costa. Antes desse período, são muito suscetíveis aos problemas que os alimentos crus podem ocasionar.

Mas meu filho não pode comer nada?

Devemos evitar os alimentos crus, mas a culinária japonesa tem muitas outras opções. Além dos doces, uma preferência entre a criançada, há os pratos quentes. Outra grande vantagem dessas escolhas é que elas fogem dos sabores exóticos; compostos de vegetais cozidos, eles podem ser consumidos pelos pequenos que estão na fase da alimentação sólida sem restrições.

Dentre os pratos quentes tradicionais, dois pratos são indicados: o Yakissoba e o Teppanyaki. O primeiro, um dos mais conhecidos, é feito com macarrão, vegetais e carne. O segundo, contém legumes, carne e arroz.

Há ainda sushis feitos com vegetais e legumes, para o caso de você não querer arriscar um tradicional salmão.

Ainda assim, tenha cuidado com outro ingrediente comum nos pratos japoneses: o molho shoyo.

Por conter muito sódio, é recomendado o uso da versão light — ou, ainda, evitar seu uso por completo. Vale também manter a atenção com relação às pimentas e temperos fortes, uma vez que as crianças são naturalmente mais sensíveis.

Geralmente, há muitas opções de frituras nos cardápios e comidas orientais. Portanto evite que os pequenos consumam esse tipo de alimento, que não é dos mais saudáveis.

Opção saudável para os pequenos

Tomados todos os cuidados iniciais, é bom ressaltar que a culinária japonesa é uma opção muito saudável — tanto para os pequenos quanto para os mais crescidinhos.

Os peixes utilizados em opções cozidas, como o salmão e o atum, são muito ricos em ômega 3, um ácido graxo que nosso corpo não fabrica, mas que auxilia diretamente a saúde do coração. Já no caso das algas, utilizadas por exemplo nos sushis, há vitaminas, fibras e proteínas, importantes especialmente para crianças em fase de desenvolvimento.

Como apresentar a culinária japonesa às crianças

Os maiores restaurantes de comida japonesa sempre trazem diferenciais para as crianças. No caso do Daisho, há opções de adaptadores de hashis para que a criança consiga acompanhar os mais velhos.

Agora que você já sabe o que as crianças podem ou não consumir, não fique com água na boca — vá matar logo essa vontade. Bom apetite!

Sobre o Autor

Endereço: Av. Coronel Antônio Estanislau do Amaral, 320 - ITAICI - Indaiatuba/SP - CEP.: 13340-480 - Tel.: (19) 3801-0405

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat