BioExtratus
BioExtratus
7 Campanhas de marketing que não deram muito certo

7 Campanhas de marketing que não deram muito certo

Conheça algumas campanhas que, ao invés de atrair o público e fidelizar clientes, acabaram fazendo com que as pessoas se mantivessem afastadas das marcas

Em sua maioria, as campanhas de marketing tem como objetivo atrair o público. Criar um laço, um elo afetivo entre a marca e o seu consumidor — algo que se converterá em números positivos no quesito vendas. Ou, ao menos, é isso que todas as campanhas de marketing deveriam buscar atingir. Mas, há diversos casos em que mais do que não conseguir o que se esperava, as campanhas surtiram efeitos totalmente contrários e inesperados. E quem lida com esse tipo de relacionamento com o público deve estar sempre atento à reação dele. Por conta disso, separamos alguns casos em que as campanhas de marketing não deram muito certo. Venha conhecer onde foi que essas empresas erraram, e evite você também de cometer esses enganos.

Olá, eu sou a Bettina e tenho 1 milhão… de problemas.

Se você não ficou escondido em uma caverna nas últimas semanas, com certeza ouviu falar sobre a jovem milionária Bettina. Mais do que isso: sobre o que ela, e a empresa que representava, a Empiricus, queriam lhe vender. A campanha gerou muita confusão, memes, uma investigação por conta da Polícia Civil e até mesmo uma multa para a empresa de publicação de conteúdo financeiro. Tudo por conta e um vídeo — veiculado a exaustão, especialmente no YouTube. Nele, a jovem de 22 anos dizia ter acumulado seu primeiro milhão, partindo de um investimento de R$1.520,00 em apenas 3 anos. E que, assim como ela, você poderia conhecer o caminho das pedras. Mas, como é possível pular a propaganda após 5 segundos, foi este começo impactante que criou toda a fama da garota.

Fama essa que pode ter sido positiva para a garota, que viu seu número de seguidores nas redes sociais aumentar. Já no caso da empresa, embora tenha conseguido incrementar seus números de seguidores e interações, a maioria foi negativa, ou como alvo de piadas. Assim, fica difícil acreditar que o número de leads que a Empiricus conseguiu acompanhou esse crescimento — embora não seja possível afirmar nada. Além de toda a repercussão negativa por conta da campanha, que gerou inclusive um vídeo-resposta tão negativado pelos usuários que teve os comentários fechados, plataformas como o Reclame Aqui apontam que o público não está muito satisfeito com os serviços prometidos e prestados pela empresa.


Leia também:

Uso de imagem: o que pode e o que não pode no Marketing? 

30 anos de Internet: o quanto nossa vida foi afetada?


Campanhas de marketing que não deram muito certo

Aproveitando esse “efeito Bettina”, hoje vamos relembrar outros casos em que as campanhas de marketing não atingiram exatamente o que se esperava delas. Então, aproveitamos para comentar um pouco dos aspectos que as fizeram não dar certo. Portanto mantenha muita atenção para não repetir isso por aí.

Samsung e o Banco de Imagens

A Samsung lançou no ano passado uma nova versão de um de seus smartphones de mais sucesso, o Galaxy A8. Como parte de uma ação promovida para divulgar a qualidade da câmera do dispositivo, a empresa divulgou nas redes sociais uma foto supostamente feita com o celular. No entanto, alguns usuários mais atentos perceberam que a imagem, na verdade, se tratava de uma foto encontrada em um banco de imagens. A empresa ainda tentou desconversar, mas um usuário apontou inclusive um print da foto em seu habitat natural. Acabou ficando bem feio, hein? Portanto, fica a lição do dia, tal qual diria o He-Man ao final do episódio: nada de contar mentiras, amiguinhos.

Azul Aviação e Estadão

Outro ponto ao qual você deve dar muita atenção é o timing, e especialmente o local onde sua peça será divulgada. Um bom exemplo do mau uso de ambos ocorreu em 2017, quando o Estadão publicou uma homenagem às vítimas do acidente aéreo com o time de futebol da Chapecoense. Acontece que, na mesma página, foi publicado um anúncio sobre a companhia aérea Azul. Não deve ter sido intencional, mas não soou muito bem.

Pedido de desculpas patrocinado pela Gillette

O Brasil sentiu bastante mais uma queda da seleção de futebol, na Copa do Mundo, em 2018. Quem saiu com o filme ainda mais queimado foi o astro Neymar, cuja fama de “cai-cai” só se intensificou nesse tempo. Assim, o craque decidiu realizar um pedido de desculpas, aparentemente bem sincero, à nação. Falando sobre as dificuldades, e principalmente sobre se reerguer, um vídeo lançado nas redes sociais e no intervalo do Fantástico causou burburinho. Intitulado “Um Novo homem a cada dia” parecia ser uma mudança de postura do craque… não fosse pelo enorme logo da Gillette ao fim da exibição.

Assim, ficaram mal na foto tanto o jogador, que foi acusado de ter seu pedido de desculpas patrocinado; e a própria Gillette, que foi acusada de oportunista, por se aproveitar do momento e da figura do jogador para se promover. Basta notar que a quantidade de deslikes é bem maior que a de likes no vídeo hospedado no YouTube. Portanto, muito cuidado com o momento e a situação em que sua campanha se encaixa.

McDonald’s e o Dia das Mulheres

No ano passado, o McDonald’s decidiu lançar uma campanha atrelada à comemoração do Dia Internacional da Mulher. Porém, ela acabou não pegando muito bem por parte do público, que não compreendeu exatamente a proposta. Inicialmente, a rede de fast food fez com que 20 de seus restaurantes fossem operados somente por mulheres neste dia. Porém, muitas pessoas compreenderam que havia algo errado ali: homenagear as mulheres dando folga aos homens? Segundo o próprio McDonald’s, não aconteceu nada disso, uma vez que os funcionários homens foram alocados para outras unidades. Mas acabou pegando mal, uma vez que faltou clareza no que foi transmitido ao público em geral.

Burger King russo e o machismo

A falta de noção deu as caras nessa campanha russa do Burger King, no período da Copa do Mundo de 2018. Nela, acreditem se quiser, a rede de fast food incentivou mulheres russas a engravidarem de jogadores. E quanto mais famosos, “melhor”. Sim, é verdade: a campanha foi feita na rede social VK, que é o equivalente russo do Facebook. Lá, a empresa oferecia a quantia de três milhões de rublos (moeda nacional russa) , além de um estoque vitalício do sanduíche Whooper. Isso tudo em nome da prosperidade do povo russo. Não, infelizmente não é brincadeira. Depois de toda a repercussão negativa, o Burger King decidiu voltar atrás, admitir o erro e se desculpar.

Paris Filmes e o bullying

Em 2017, a distribuidora brasileira Paris Filmes cometeu um erro bem grave ao fazer duas campanhas entrarem em choque. Por um lado, eles realizaram a divulgação do filme Extraordinário, e condenaram a prática do bullying com os dizeres “Diga Não ao Bullying”. Iniciativa mais do que bacana, não fosse o fato de, ao mesmo tempo, divulgavam o filme Como se Tornar o Pior Aluno da Escola, de Danilo Gentili. O problema? O filme tratava o tema como prática a ser incentivada e normatizada pelas crianças do longa-metragem. Faltou um pouco mais de atenção na hora de definir a estratégia de campanhas tão próximas uma da outra.

Personal e o papel higiênico preto

A tradicional fabricante de papel higiênico quis inovar, lançando um papel higiênico preto, considerado luxuoso. Até aí, nenhum problema. No entanto, em sua campanha de divulgação, estrelada pela atriz Marina Ruy Barbosa, foi utilizado o slogan “Black Is Beautiful”. O problema é: esse slogan foi retirado de outro contexto, quando o movimento negro lutava por direitos civis nos EUA. Assim, a própria atriz veio a público pedir desculpas por conta da campanha, interpretada como ofensiva e racista por muitas pessoas. Enquanto o propósito era ressaltar a beleza da cor negra, utilizar um slogan cooptado de um momento tão importante na história não caiu nada bem.

Percebeu como a opinião do público deve ser sempre levada em consideração? Assim, usar campanhas de empresas do mesmo ramo que o seu pode ser um bom termômetro. Além disso, a honestidade de uma marca tem que ser expressa desde suas campanhas de marketing. Afinal de contas, ela vai ser a primeira impressão que grande parte do público terá de sua marca.

Portanto, como a primeira impressão é a que fica… que seja uma ótima impressão: honesta, sincera, agradável e criativa. Quem sabe nós não podemos te ajudar?


Leia também:

Podcast: entenda porque a mídia cresce tanto na preferência do público

Marketing: quais foram as principais pesquisas feitas no Google em 2018?

 

Sobre o Autor

Endereço: Rua XV de Novembro, 1112 - sala 2 - CEP.: 13330-070 - Indaiatuba/SP - Telefone.: (19) 40420-0897

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat