Pés descalços

logo-coluna-oculispresto

Donny era uma cara comum, nascido e criado no subúrbio com culturas e costumes comuns…

Só tinha uma diferença e o seu próprio costume desde cedo, odiava sapatos e adorava andar, não correr e fazer caminhadas no parque da cidade, gostava de ir longe. Entre pedras e trilhas longínquas achava o seu paraíso.

Aos 13 anos andando de tênis durante horas. Reparou no odor e na temperatura de seus pés. O calcanhar branco, os dedos úmidos e retorcidos e nada relaxados.

Decidiu usar sandálias, depois chinelos, tudo que deixasse seus pés respirarem, não era Hippie, mas vivia descalço e seus pés sujos lembravam das estradas que tinha passado a cada deitada na cama de algum albergue que dormia, as vezes demorava 3 dias para lavar o pés, pois ainda não havia terminado a estrada que escolhera percorrer, e mesmo que não os lavara sabia que o odor de seus pés era de terra e mato, diferente do odor horrível dos pés dos homens de terno que trabalhavam na cidade grande.

Após dois anos Donny, conheceu uma garota, estava na praia, e viu os pés desformes e marrons de uma dona que dançava sobre o luar. Gravou bem o tons azul de seu vestido e a pulseira verde, vermelha e amarela em seu tornozelo.

No outro dia enquanto caminhava na praia viu a mesma moça, a dona da noite anterior. E como mágica se encontraram, seus pés ainda estavam sujos, e não é que a dona se chamava Donna.

Não quero prolongar o conto, mas Donny e Donna, percorreram juntos muitas estradas, e as solas de seus pés sentiram rochas, lama, capim e areia, tantas vezes que se acostumaram a andar juntos e não poderiam mais caminhar sozinho sem as duas sombras no chão movendo-se em contraponto a luz de vários pores do sol.

Desse caminhar nasceu Diego, nasceu descalço e sentindo a terra sobre o seu chão, Diego aprendeu a cuidar daquilo que te leva a mundos incríveis, a cuidar dos pés e o deixar respirar e tudo que era seu, e que o levava a algum lugar Diego fazia o mesmo. Deixava se sujar, deixava respirar e ser livre e por isso ele sempre esteve pronto para o próximo passo.

Donny e Donna morreram velhinhos e de pés descalços e Diego sabia que a caminhada deles agora era em algodão e sabia que sua meta era alcançá-los algum dia.

Diego herdara a verdade do mundo. E sorria olhando para a barriga de Diana sabendo onde seus pés o levariam agora

Então cuida daquilo que te leva a lugares incríveis, mas o deixa sentir tudo, aspereza e maciez, aconchego e dor, deixa o livre e ache algo para seguir

A começar pelo seus pés.

By Marcio Nunes

marcio_nunes_oculis_presto_revista_davila

 

Share With: